Dicas

Eventos ao ar livre? Sim. E as alergias?

Na época em que as alergias estão ao rubro, algumas dicas para minorar o seu impacto nos eventos fora de portas.

Esta é a altura do ano em que o tempo começa a melhorar, convidando a eventos fora de portas, mas em que o pólen anda no ar. Na época em que as alergias estão ao rubro, planear um evento ao ar livre pode ser um desafio. Mas é possível fazê-lo sem que os participantes espirrem ao longo do evento ou saiam de lá com o nariz entupido.

À partida, há mais incidência de pólenes em dias secos e ventosos, tornando melhores os dias em que o tempo está nublado, chuvoso e sem vento. Há quem diga que os piores momentos são as manhãs, mas há quem ache que isso é um mito. Assim, independentemente da hora do evento, é possível tomar outros cuidados para minimizar o impacto das alergias.

À MeetingsNet, o alergologista Clifford Bassett, do American College of Allergy, Asthma and Immunology, deixou alguns conselhos:

- Alguns locais são melhores do que outros. Venues perto de água, espaços no topo de edifícios ou terraços de pedra são boas opções. Ainda assim, atenção ao vento…

- Se o local escolhido for relvado, uma boa hipótese é colocar uma superfície dura para cobrir uma parte do espaço. O melhor é pedir também para que a relva não seja cortada nesse dia.

- É preciso atenção na escolha das flores. As ‘allergy-friendly’ são, por exemplo, lavanda, gerberas, margaridas, jasmim, zínias ou girassóis. As melhores alternativas são azáleas, lírios asiáticos, begónias, hortênsias, orquídeas, rosas, tulipas e violetas, entre outras.

- Manter sempre uma caixa de lenços à mão dos convidados.

- No convite, frisar que o evento é fora de portas para que os participantes que sofrem de alergias possam ir preparados.

Tags: Dicas, Eventos, Alergias

10-04-2019