Notícias

Amarante, Braga e Barcelos são “Cidades Criativas” da UNESCO

Distinção internacional reforça o potencial do destino Porto e Norte de Portugal.

Das 64 novas cidades que integram a rede de Cidades Criativas da UNESCO três são portuguesas – Amarante é distinguida na categoria de Música, Braga na categoria de Artes Mediáticas e Barcelos no Artesanato e Arte Popular. Com este reconhecimento da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, o destino turístico Porto e Norte de Portugal sai reforçado.

“É mais um selo que certifica a qualidade da oferta turística do Porto e Norte de Portugal, reforçando as insígnias da UNESCO no território, um dos poucos no mundo a deter a classificação de quatro sítios Património Mundial (centro histórico do Porto, centro histórico de Guimarães, Alto Douro Vinhateiro e o Vale do Coa)”, refere Melchior Moreira, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, acrescentando: “É um orgulho, acima de tudo, perceber a vontade e a pro-actividade dos municípios em competirem para obterem distinções deste nível que engrandecem não só a região como também o país”.

O turismo tem aumentado na região e, de acordo com o responsável, os sete milhões de visitantes previstos para 2020 vão ser ultrapassados antes do final do ano. Por isso, esta distinção internacional tem “uma importância extrema” na certificação da qualidade do território.

“Distinguir Amarante, Braga e Barcelos reforça o potencial enorme que o destino tem para continuar a crescer e a mostrar a sua diferenciação, promovendo um turismo sustentável e equitativo por toda a região, fazendo do Porto a sua principal porta de entrada mas desafiando o visitante a ir mais além e a aumentar a estada média no território que é o grande objetivo a alcançar”, adianta Melchior Moreira, lembrando que sub-destinos como Trás-os-Montes, Minho e Douro têm apresentado taxas de crescimento elevadas, confirmando “a alteração estrutural no destino Porto e Norte de Portugal, de tendente redistribuição dos resultados do fenómeno turístico por toda a região”.

Tags: Turismo, Destinos, Unesco

02-11-2017