Notícias

Governo lança incentivos para eventos nas zonas afectadas pelos incêndios

O Executivo está montar um regime de apoios para os interessados. Paralelamente, a tutela do turismo tem entre mãos a negociação, com as Finanças, da aplicação do IVA a congressos.

A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, anunciou esta quinta-feira, dia 23 de Novembro, na abertura do congresso da APAVT (Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo) em Macau, que o Governo está a trabalhar em incentivos, de ordem financeira, para trazer mais eventos às zonas do interior, afectadas pelos incêndios este ano, nomeadamente da área corporativa. "Falo de um programa de incentivos em que, em função do número de participantes, o Turismo de Portugal terá um mecanismo de apoio para que se realizem eventos e congressos, no centro, nas regiões dos incêndios", referiu a governante à margem do certame. O regime "já foi aprovado, ainda não foi publicado", adiantou a Secretária de Estado. "Há mesmo um incentivo do Turismo de Portugal em função do número de participantes".

A governante referiu ainda, tal como já tinha avançado à Event Point, que já há 59 novos congressos internacionais captados para Portugal "a somar" aos que já existiam em todo o país. "Temos feito uma gestão inteligente de captação de eventos e congressos", referiu Ana Mendes Godinho. "São de várias nacionalidades", salientou.

Respondendo a uma crítica do presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, que no seu discurso referiu que é 23% mais barato fazer eventos em Espanha do que em Portugal, Ana Mendes Godinho salientou que o Executivo está a "dialogar com as Finanças na melhor forma de aplicação concreta do IVA aos congressos porque neste momento é muito variável em vários países europeus. A secretária de Estado não concorda que esta questão torne Portugal menos competitivo, "basta ver a dinâmica que se sente em todo o país". A governante esclareceu ainda que esta questão não está relacionado com o valor mas "com a forma como se interpretam as fórmulas de cálculo".

Em termos de promoção de Portugal como destino de filmagens, com o novo programa "Turismo e Cinema" que o Governo está a lançar, os principais mercados, salientou a governante, são os Estados Unidos e a Índia. "Temos um plafond de 10 milhões para 2018", adiantou.

Durante a sessão de abertura, o presidente da APAVT deixou críticas às companhias aéreas e às diversas directivas europeias, que acredita serem um entrave ao sector do turismo e um "ataque à livre escolha do consumidor". O responsável referia-se aos movimentos de concentração das empresas que lideram o sector da aviação e a imposições do novo regulamento europeu de protecção de dados. "O cenário é aterrador", referiu, salientando que a falta de clara da lei abre caminho à entrada de consultoras, que cobram milhares de euros. É uma "mistura explosiva criada por burocratas saloios e ignorantemente embriagados pelo poder e lobbies interessados em ganhar" através do apoio técnico e outros serviços às empresas.

O congresso da APAVT decorre até ao dia 25 de Novembro, em Macau.

 

A Event Point viajou a convite da APAVT


Foto: Click and Play

Tags: APAVT, Macau, SET

23-11-2017