Entrevistas

Luca Favetta: O segmento associativo do sector de eventos sempre me fascinou”

Luca Favetta é um dos nomes mais importantes e reconhecidos da indústria de eventos na Europa, e quase dispensa apresentações.

Deixou recentemente o mundo corporativo e as grandes multinacionais para ocupar uma posição proeminente na Professional Convention Management Association (PCMA), e o desafio tem sido muito motivador.

Para aqueles que eventualmente não conheçam o projecto, pode apresentar-nos a PCMA e o seu foco principal?

Desde 1956 que a PCMA se dedica a inspirar a comunidade de eventos empresariais com networking e oportunidades educacionais de alto nível. Com pouco menos de 7000 membros e uma audiência de mais de 50 mil pessoas, a PCMA é a maior rede mundial de consultores de eventos corporate. Estamos sediados em Chicago, nos Estados Unidos, contamos com parceiros e colaboradores em todo o mundo, nomeadamente na América do Norte, Europa, Oriente Médio e Ásia, e temos actividades em 37 países. A PCMA está focada em inspirar, conectar e inovar a comunidade de eventos empresariais, através de programas educacionais.

Por que decidiu mudar do mundo corporativo para uma associação?

Como sabe, passei toda a minha carreira profissional (mais de 25 anos) no sector dos eventos corporativos, em organizações como a HP e a SAP. Ao longo da minha carreira, tenho-me envolvido com múltiplas associações industriais de várias formas, com papéis diferentes - e uma vez que essa indústria me deu tanto, sempre tive intenção de retribuir com parte da minha experiência. Sempre fui fascinado pelo segmento associativo do sector dos eventos e tive a oportunidade de colaborar e apoiar a PCMA nos últimos anos e experimentar, em primeira mão, o valor dos programas educacionais que a PCMA oferece ao público. Portanto, quando soube desta oportunidade profissional, pensei que a PCMA era a organização perfeita para eu tentar coisas novas, enfrentar novos desafios e encontrar novas motivações. Estou muito feliz com a minha escolha.

Quais são os principais desafios de hoje em dia para a PCMA?

No núcleo da PCMA, tentamos desafiar-nos constantemente a inspirar, inovar e aproximar a comunidade de eventos. Isso significa explorar diferentes formatos de aprendizagem, ferramentas tecnológicas e criar um ambiente de mudança e adaptação rápida. Não é fácil fazer isso e nem sempre somos bem-sucedidos, mas é importante que constantemente nos desafiemos a permanecer relevantes para os nossos membros e a fornecer conteúdos que o público possa usar para promover as suas organizações e carreiras.

E qual será o seu papel enquanto Director Regional de Negócios da EMEA [Europa, Médio Oriente e África]?

A PCMA é uma marca muito conhecida e respeitada nos EUA, no México e no Canadá, e recentemente desenvolveu uma estratégia global detalhada que orientou o investimento e a expansão do seu foco para fora da América do Norte. Enquanto Director Regional de Negócios da EMEA, o meu primeiro objectivo é alargar o conhecimento da marca PCMA e o envolvimento com o cliente na nossa região. Nesta medida, estamos a trabalhar com organizações que têm valores semelhantes aos nossos, para que possamos fortalecer nossas ofertas e continuar a elevar o papel do profissional de eventos de negócios.

O nosso foco sempre esteve na educação, e isso não vai mudar. Planeamos oferecer educação de alta qualidade que atinja tópicos desafiadores no mercado local, proporcionando oportunidades locais e globais para troca de ideias e colaboração. E na minha região eu quero começar a fazer isso "da Europa para a Europa". É por isso que a PCMA criou recentemente o Conselho Consultivo Europeu que nos ajudará a identificar prioridades regionais e a elaborar o nosso plano de desenvolvimento na Europa.

Conte-nos um pouco mais sobre os planos da PCMA para outras regiões do globo.

Por exemplo, na região Ásia-Pacífico, uma organização à qual nos juntamos é a SACEOS (Singapore Association of Convention and Exhibition Organisers and Suppliers) para estender as nossas sessões educacionais aos seus membros, ao longo de todo o ano. Estes relacionamentos permitem que os recursos da PCMA sejam partilhados com um público mais amplo. Ao mesmo tempo, os membros da PCMA também estão expostos aos membros e experiências da SACEOS, permitindo um maior alcance de perspectivas e troca de soluções. Continuamos a trabalhar com destinos em todo o mundo, para proporcionar educação e formação para a comunidade local de eventos empresariais, criando programas de educação personalizados. A PCMA valoriza as parcerias e alianças globais em expansão que estabelecemos nos últimos anos, que variam em marketing, educação, formação e desenvolvimento.

E sobre sua parceria mais recente com a IAPCO?

Os valores da IAPCO e da PCMA alinham-se em torno da educação e das ofertas aos nossos membros. Percebemos que, ao colaborar, podemos oferecer sessões educativas ainda mais fortes que trazem perspectivas mais diversas, tanto nos nossos respectivos eventos, como nos eventos da indústria global. Ela também permite que membros da PCMA acedam a um grupo confiável de PCOs [Organizadores Profissionais de Congressos] para discutir as suas necessidades de negócio. O relacionamento cresceu ao longo dos últimos anos e continua a ser benéfico para o público.

Para concluir, qual a sua mensagem principal para os nossos leitores?

Acredito firmemente que a educação é uma das chaves para o crescimento profissional e todos nós devemos investir a quantidade certa de tempo e energia nisso. Trata-se de um desafio, principalmente nos dias de hoje em que todos somos convidados a fazer mais com menos e onde os orçamentos e os recursos são cortados repetidamente ...

Para ser bem sucedido, é fundamental seleccionar as oportunidades de desenvolvimento correctas disponíveis no mercado e na PCMA estamos empenhados em criar e oferecer os melhores programas educacionais séniores para apoiar a progressão na carreira do público e melhorar o papel do consultor de eventos corporate.

Tags: PCMA, Luca Favetta, Meetings Industry

28-08-2017