Notícias

Setor dos eventos perdeu muito com a pandemia, mas vai liderar a retoma

Quem o diz é a Fixando, uma plataforma nacional para a contratação de serviços.

A Fixando, plataforma nacional para a contratação de serviços, fez uma análise ao mercado e a vários setores, e concluiu que entre os setores mais prejudicados com a pandemia e o confinamento está o dos eventos. No comunicado lê-se, “Entre os sectores mais prejudicados, o dos eventos está em 1º lugar, cujas quebras foram drásticas tendo, em algumas situações, resultado na falência e encerramento de vários negócios”. A plataforma aponta quebras estimadas na ordem dos 765 milhões de euros, que se refletem “refletem-se num decréscimo superior a 85% nas transações, tudo consequência das restrições rigorosas”.

Com o desconfinamento, a plataforma estima uma “aceleração na procura de serviços que foram adiados devido à pandemia, como é o caso dos serviços relacionados com eventos”. A Fixando prevê mesmo que no Verão e com o plano de desconfinamento atual, “o verdadeiro vencedor seja o sector dos eventos”.

“É um sector que só no primeiro mês de desconfinamento, registou um crescimento de 71%. Ainda assim, a redução da ocupação dos espaços de eventos para apenas 25% da lotação máxima, poderá traduzir-se num aumento de preços por pessoa no sector, nomeadamente no que diz respeito às quintas e espaços para festas, cujo preço médio caiu apenas 20%, não tendo por isso, acompanhado a redução do número de convidados”, alerta Alice Nunes, diretora de Novos Negócios da Fixando.

 

 

Tags: Retoma, Mercado, Eventos

23-04-2021

Últimas Notícias