Opinião

O setor está a partilhar, a aprender, mas pronto para o regresso

As primeiras reflexões sobre 'De A @ Zoom', por Nuno Seleiro.

Quem trabalha nos eventos sabe que depois da cortina fechar temos a adrenalina a fluir até cairmos para o lado. É a celebração, uma das etapas de que mais temos saudades nos presenciais.

O Ciclo de Webinares de A @ Zoom permitiu que centenas de participantes tomassem contacto com as ideias iniciais na organização de um evento digital, plataformas, evoluindo depois para temas mais complexos como o protocolo, as métricas, a customização, os dados a extrair.

Como em todos os eventos nunca estamos sozinhos. Esta iniciativa teve um painel de convidados que procurou ser interessante e interessado nos outros, a quem nos assistia, que do silêncio dos computadores estava espalhado por todo o país.

Da experiência de quem faz lives para mil pessoas a meio da tarde, as agências que já se formaram num contexto de pandemia, passando pelas reflexões para os estudantes, tivemos uma primeira semana para percebermos ou nos lembrarmos de como começar.

Na segunda semana fomos mais a fundo: o que pensar no protocolo nos eventos digitais e híbridos, como medir o alcance e como dar visibilidade a patrocinadores, qual o papel do moderador de um evento, passando por um desafio de uma empresa quase real, que também está a viver a sua jornada digital.

Compreendemos também neste ciclo que tão importante é quem nos vê ao vivo, e que pode interagir em direto, como quem vê a gravação. Quisemos disponibilizar em 2/3 horas após cada sessão as gravações, para perceber o real alcance. Assim, dos 60% ou menos de direto podemos chegar a 75%, 80% ou mais.

Cada vez mais vamos ter critérios de medição do retorno do investimento cada vez mais mensuráveis com número de oportunidades, visualizações, dependendo da natureza do evento.

Os oito convidados tiveram a frontalidade de partilhar o que sabiam e as suas dúvidas, num momento onde se falou de humildade, de lealdade, de incerteza, de união, mas também de oportunidade.

Tivemos sorte também. Numa semana onde o Reinvent foi comunicado, ter o testemunho da Event Point foi um “furo”.

E tivemos uma audiência que não termina no dia em que o botão de stop da última sessão foi premido. Mas que continua a consumir o conteúdo, hoje, amanhã e depois.

Até (muito) breve.



E para quem quer ver e rever as sessões pode fazê-lo aqui.

 

Nuno Seleiro, diretor da Asserbiz

 

Tags: Opinião, Eventos, Conferências, Digital, Asserbiz

11-03-2021