Reportagens

Eventos no mar alto

As grandes companhias de cruzeiros estão a apostar na Meetings Industry. A MSC conta já com uma oferta abrangente em Portugal.

E se em vez de realizar um evento num venue estático escolhesse um que esteja em movimento? A navegar em águas de todo o mundo, os barcos de cruzeiro são uma opção cada vez mais na moda para todo o tipo de acontecimentos. Embarcar para uma reunião, congresso ou incentivo é uma forma de garantir que os convidados dificilmente irão esquecer o evento.

As grandes companhias de cruzeiros estão a apostar em grande neste sector, incluindo em Portugal. A MSC, uma das maiores do mundo com presença estabelecida no país, é um dos players que já entraram no segmento da Meetings Industry. A empresa “tem vindo a apostar neste sector nos últimos anos e disponibiliza neste momento uma completa oferta de soluções para reuniões e incentivos, com várias possibilidades para realizar todo o tipo de eventos a bordo, com programas feitos à medida, adaptados e personalizados. Em Portugal, começamos a sentir uma forte curiosidade por parte das empresas neste tipo de produtos, na medida em que neste momento 25% dos nossos passageiros realizam cruzeiros em grupos, dos quais cerca de 15% são incentivos”, adiantou à Event Point o director‑geral Eduardo Cabrita.

revista eventos event point turismo negócios mice

Para a companhia, a prioridade é promover as vantagens deste tipo de serviço. “Um cruzeiro pode ser uma excelente alternativa aos hotéis, pois em termos de extras e de entretenimento está tudo incluído no preço da viagem”, adiantou o mesmo responsável. Também a Douro Azul tem um barco que aposta nesta área, o Spirit of Chartwell, uma embarcação que transportou a rainha Isabel no seu jubileu, com 16 cabines e uma suite real, explicou fonte oficial da companhia.

Os custos de organizar um evento num navio podem ser 20 a 30% mais baixos do que num venue mais tradicional, segundo a empresa Landry & Kling, citada pela CNN e que é especialista neste tipo de serviços. Eduardo Cabrita adiantou ainda que “os clientes que fazem um cruzeiro em trabalho conseguem combinar as reuniões com umas curtas férias e momentos de relaxamento, visitando destinos diferentes, sem ter de fazer e desfazer malas”. Ou seja, é uma forma de ter toda a experiência de um evento ou incentivo no mesmo local e só com um parceiro.

revista eventos event point turismo negócios mice

A MSC conta com 15 navios e garante que cada um “está totalmente equipado com os mais evoluídos equipamentos para reuniões, conferências e apresentações, dispondo de pessoal especializado e modernas tecnologias de comunicação para todo o tipo de eventos e reuniões, desde viagens de incentivo para comerciais, distribuidores e revendedores, a prémios de objectivos, eventos promocionais, convenções, reuniões e conferências ou lançamentos de produtos e apresentações e eventos internacionais”, referiu Eduardo Cabrita.

Paralelamente, “os espaços a bordo como os teatros, salas de reuniões, bares e lounges, entre outros locais, permitem que sociedades dos mais diversos segmentos realizem os seus eventos ou, até mesmo, cruzeiros temáticos”, adiantou o director‑geral do grupo. Os barcos incluem ainda uma parte com “instalações de desporto, fitness e tratamentos de Spa que na frota da MSC Cruzeiros desempenham um importante papel no sucesso das reuniões, incentivos, conferências e eventos”, detalhou.

Os navios da empresa permitem a organização de eventos com uma capacidade entre 30 e duas mil pessoas “incluindo a possibilidade de fretamento total do navio e/ou do Yacht Club, produto de luxo da MSC disponível nos navios das classes Fantasia, Meraviglia e Seaside. Os restaurantes, por sua vez, podem ter locais reservados para a realização de jantares especiais, comemorativos ou de negócios”, adiantou Eduardo Cabrita. A escolha de itinerários e destinos é grande, mas a MSC destaca os “Mini‑Cruises, cruzeiros com cerca de 4/5 dias, são perfeitos para este tipo de iniciativas, oferecendo uma experiência única onde a localização do evento se move todos os dias com um incomparável custo/beneficio”, referiu o director‑geral da empresa.

A MSC explicou ainda que é mais fácil conciliar reuniões e incentivos com o negócio “core” de lazer da empresa do que congressos e eventos. E o futuro é de maior aposta na Meetings Industry. “As empresas são cada vez mais internacionais com delegações em todos os cantos do mundo e este segmento permite que os seus colaboradores escolham o porto de embarque tendo a possibilidade de estarem presentes nas iniciativas da sua empresa, independentemente da sua localização”, salientou Eduardo Cabrita.

Lá fora, os grandes armadores estão atentos a esta tendência. Na Royal Caribbean, a oferta começa a aumentar, assim como a procura. O grupo construiu 22 navios com centros de congressos, contou à CNN Lori Cassidy, directora de charters e incentivos da multinacional. Entre as preocupações de quem organiza eventos estão os enjoos, algo que os responsáveis das empresas dizem não ser um problema com os cruzeiros actuais, muito estáveis. Cassidy refere ainda outra vantagem: “os delegados não podem ir a lado nenhum, estão ali cativos”. Isto resolve um dos principais problemas dos organizadores: certificar‑se de que os convidados estão de facto no evento.


Alexandra Noronha

© MSC

Tags: Cruzeiros, Venues

27-11-2018