Radar

Conservas Pinhais Factory Tour: uma viagem pela história da empresa e da indústria

A inauguração deste ‘museu-vivo’ da Pinhais está prevista para outubro.

A conserveira centenária Pinhais vai lançar o Conservas Pinhais Factory Tour, um ‘museu-vivo’ que vai proporcionar uma experiência imersiva sobre todas as fases do processo de trabalho na indústria conserveira, e cuja inauguração está prevista para outubro. O projeto, que tem um investimento de três milhões de euros e que vai aliar a fábrica histórica às suas marcas estratégicas, foi pensado para promover a comunidade local e o turismo e para contribuir para a preservação e valorização da indústria conserveira de Matosinhos.

Instalado na fábrica Pinhais, o ‘museu-vivo’ vai mostrar o património material e imaterial da conserveira centenária e das suas marcas, numa viagem pela história da empresa e da indústria. As visitas vão ser guiadas por mediadores culturais, que vão dar a conhecer uma das fábricas mais antigas em atividade, também através de conteúdos digitais exclusivos. A visita vai proporcionar a participação no processo de empapelamento, ou seja, no processo de embrulhar as latas segundo as técnicas das artesãs da empresa, e vai contar também com uma prova das iguarias da Pinhais, numa das salas mais imponentes do edifício. Mais para a frente, estão previstas novas atividades, como exposições temporárias, serviços educativos e workshops.

“Este projeto que nos permite a comunicação da nossa cultura e herança conserveira é um sonho concretizado para o mais precioso dos nossos ativos, as pessoas que aqui trabalharam desde sempre e que compõem a família Pinhais. É também uma homenagem às diferentes gerações da mesma família que marcam o percurso da empresa nos últimos cem anos. Tudo na Pinhais respira autenticidade, tradição e qualidade, desde o edifício histórico, passando pelo método de produção (que se traduz em conservas inigualáveis) e culminando no mais importante, a família das Conservas Pinhais nos seus 146 colaboradores que dominam e preservam vivo um processo artesanal praticamente extinto no mundo”, refere Patrícia Sousa, diretora de marketing da Pinhais, em nota de imprensa.

A responsável acrescenta: “Queremos proporcionar uma experiência diferenciadora, única e sustentada numa tradição centenária. Preservar a memória e legado da indústria, partilhar as origens, processos, histórias e pessoas por trás das nossas marcas, são os grandes objetivos na base deste projeto. Por estes motivos, consideramos que este conceito de museu-vivo só faz sentido existir na Pinhais que, além do espólio, arquitetura e filosofia, se orgulha de manter em pleno século XXI um método tradicional raro em toda a sua produção, representando a génese do setor, tal como era há 100 anos.”

O projeto associa o turismo cultural ao turismo histórico e gastronómico. Espera-se, por isso, o interesse de vários mercados, entre os quais o austríaco, norte-americano, espanhol, francês, alemão e italiano.

“Este projeto apresenta características únicas no setor do turismo industrial, será um museu-vivo com uma dinâmica muito própria e grande ligação às tradições de Matosinhos. A autarquia entende ser um equipamento estratégico e de grande valia para o desenvolvimento económico da região”, afirma Luísa Salgueiro, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, parceiro institucional do projeto.

 

Tags: Turismo, Experiências, Destinos, Matosinhos

22-09-2021