Radar

Temi, a mais recente robô de serviço em Portugal

A robô chega a território nacional pelas mãos da Beltrão Coelho.

Depois dos robôs Sanbot (2018) e Cruzr (2019), a empresa portuguesa de tecnologias de informação Beltrão Coelho apresenta a robô Temi, agora disponível em Portugal. A robô caracteriza-se pela alta performance ao nível da telepresença e teleconferência.

Explica a empresa que esta nova robô consegue acompanhar o utilizador enquanto este se movimenta, desviando-se dos obstáculos, por ter a possibilidade de mapeamento e deslocação autónoma no espaço, dando, ao mesmo tempo, resposta aos pedidos. Na área da saúde, a Temi pode operar como assistente virtual, recordando a um utilizador idoso a toma de medicamentos ou agilizando o contacto com os médicos, por exemplo. Noutras áreas, como a do retalho, entretenimento, educação ou hotelaria, a robô pode fornecer informações, dar as boas-vindas, realizar o check-in nos hotéis ou encaminhar pessoas de forma autónoma.

“Já não há como fugir: os robôs vieram para ficar e são já uma realidade incontornável da transformação digital. A Temi é um dos modelos mais recentes de robôs de serviço, estando já a ser utilizada por toda a Europa e Portugal não podia ficar de fora”, refere Bruno Coelho, responsável pela divisão de robótica da Beltrão Coelho, em nota de imprensa.

A robô Temi tem um metro de altura e pesa 12 quilos. Conta com um ecrã tátil HD, que possibilita a visualização de imagens em alta resolução, sistema operativo Android, câmara de 13MP de alta resolução com autofócus e vídeo, e uma bateria com autonomia até oito horas por carregamento. No que respeita à inteligência artificial, o sistema de navegação da Temi tem capacidade de autoaprendizagem sobre o que a rodeia, percebe onde se encontra, o que está a ver e para onde se dirige, evitando obstáculos e planeando trajetos, avança a empresa.

Yossi Wolf, CEO da Roboteam, que fabrica a robô, explica como surgiu a ideia de criar a Temi: “Há uns anos, a minha vida mudou. Passei uma tarde com a minha avó e reparei no quão trémulas estavam as mãos dela e quão difícil era segurar uma chávena de chá ou utilizar o telemóvel. Foi nesse momento que decidi dedicar a minha vida a criar a Temi para a minha avó. Quando percebi todas as potencialidades e características que um robô pessoal pode ter, acabei por querer um para mim. Acredito que um smartphone nos mantém conectados a qualquer hora, já um robô pessoal faz-nos estar presentes em qualquer lugar.”

 

Tags: Tecnologia, Serviços, Robôs, Beltrão Coelho

20-12-2021