Radar

As tendências tecnológicas a ter em conta no eventos

James Morgan convidou, durante a IBTM, especialistas em tecnologia e eventos e perguntou-lhes quais as tendências mais excitantes para os próximos anos.

Uma das sessões mais aguardadas na IBTM World foi dinamizada por James Morgan, fundador do Event Tech Live, e contou com a presença de sete profissionais que aliam tecnologia e eventos. O resultado foi uma reflexão sobre as tendências que marcarão os próximos anos.

Mariska Kesterloo – Word of MICE

Para esta especialista o social audio é a tendência a ter em conta. O fenómeno Clubhouse, apesar de se estar a desvanecer, criou um apetite por esta forma de comunicação, que já está disponível também noutras plataformas. Mariska Kesterloo sublinha também a importância dos vídeos – cada vez mais curtos -, e exemplifica com o sucesso dos instareels, Tiktok e Youtube.

Edgars Kuzmans – 3K Management

O Metaverse é a grande tendência segundo Edgars Kuzmans. Este espaço virtual, já usado pela indústria gaming vai marcar os próximos tempos. O especialista acredita que a indústria dos eventos pode ser pioneira neste contexto. Não é propriamente uma tecnologia, mas o conteúdo será cada vez mais importante no online. “Já não é rei… é imperador”, admite.

Panos Moutafis – Zenus Analytics

Os dados vão continuar a ser um elemento fulcral no futuro. O especialista avisa: “se não conseguir medir, não consegue melhorar”. E tudo será medido tanto no mundo virtual como também no presencial, e tudo isto em tempo real.

Jamie Vaughan – Cvent

Jamie Vaughan também aponta os dados como decisivos no futuro, a que acrescenta a importância de os saber interpretar.

Krzysztof Celuch – Celuch Consulting

Este consultor aponta a importância do “wi-fi rápido e agora” estar amplamente disseminado nos destinos e nos venues. Em relação às apps dos eventos é necessário torná-las de mais fácil utilização para os participantes para serem eficazes no futuro.

Anna Abdelnoor – ISLA

Não é propriamente uma tecnologia, mas através da tecnologia pode contribuir-se para a sustentabilidade. A especialista diz que não estamos a medir a pegada carbónica dos eventos que realizamos e que isso tem que mudar. “Temos de saber o que é um bom evento e um mau evento”, avisa.

Dahlia El Gazzar – Dahlia + Agency

El Gazzar assinala o regresso do QR Code no setor dos eventos e a sua disseminação nas apresentações, no networking, nos patrocínios. A oradora também é de opinião que o conteúdo essencial, e é nele que há-que investir.

Tags: Eventos, Tecnologia, IBTM World

29-12-2021