Notícias

Assinado contrato de concessão da Coudelaria de Alter ao Grupo Vila Galé

O Grupo Vila Galé compromete-se a construir um hotel temático de quatro estrelas.

O contrato de concessão da Coudelaria de Alter ao Grupo Vila Galé foi assinado, numa cerimónia realizada no Ministério da Agricultura a 28 de Setembro. A concessão é feita por 50 anos e o investimento total para a recuperação do edificado está estimado em oito milhões de euros.

De acordo com um comunicado do Ministério da Economia, o Grupo Vila Galé compromete-se a construir um hotel temático de quatro estrelas, com cerca de 76 quartos, que vão estar distribuídos pela Casa de Campo, pelas antigas cavalariças, pelo edifício administrativo e pelas antigas pocilgas. O hotel, que vai utilizar a Enoteca e o Lagar em eventos temáticos, vai dispor ainda de spa e restaurante, com uma forte aposta na gastronomia regional.

Fundada em 1748 pelo rei D. João V, a Coudelaria de Alter é a mais antiga coudelaria portuguesa e um importante polo de dinamização e estruturação do turismo equestre na região. É um “projecto âncora” de dinamização turística e económica do interior.

“O projecto tem o mérito de congregar os esforços de diferentes áreas de governação e de diversas instituições, colocando este extraordinário equipamento ao serviço do turismo numa região do interior, para cuja dinâmica económica muito contribuirá, seguramente”, sublinhou o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, acrescentando que “é pelo turismo que passa o futuro da Coudelaria de Alter do Chão, não esquecendo as outras componentes que dão vida àquele equipamento, nomeadamente a criação e projecção do Cavalo Alter Real”.

Manuel Caldeira Cabral, ministro da Economia, considerou que a concessão da Coudelaria de Alter “vai representar uma enorme oportunidade para o desenvolvimento deste espaço magnífico”. E acrescentou: “O investimento que aqui será feito, e que será inaugurado em 2020, vai afirmar ainda mais Alter do Chão como um dos principais centros de turismo equestre em Portugal, promovendo a preservação do cavalo lusitano e o desenvolvimento económico do Alto Alentejo.”

Para Jorge Rebelo de Almeida, presidente do Grupo Vila Galé, este “é mais um contributo que queremos dar para desenvolver o interior do país. Acreditamos que este hotel ajudará a criar um polo de desenvolvimento regional no distrito de Portalegre. Por outro lado, a nossa intenção é ter um projecto hoteleiro intimamente ligado ao turismo equestre”.

O Revive é um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que pretende valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atractividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias zonas do país. No âmbito do Revive, já foram lançados oito concursos, estando a decorrer o relativo ao Convento de Santo António dos Capuchos, em Leiria. Está previsto que o próximo concurso, a ser lançado em Outubro, seja o relativo à Casa de Marrocos, em Idanha-a-Nova.

 

©Revive – Reabilitação, Património e Turismo

Tags: Hotelaria, Património, Hotéis

01-10-2018