Casos de Estudo

Imaginarius: criação artística no espaço público

Desde 2001, Santa Maria da Feira torna-se num imenso palco para receber o Imaginarius. Este ano o evento é finalista dos Bea World.

Combinar em espaço público a criação artística contemporânea com a promoção da criatividade dos artistas locais, criando e fidelizando públicos é grosso modo o objectivo do Imaginarius – Festival Internacional de Teatro de Rua. Gil Ferreira, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira explica que um dos principais desafios do evento é materializar na programação a missão de surpreender o público. “Não pretendemos surpreender o público de forma gratuita ou desprovida de conteúdo, muito pelo contrário, temos como ideário promover a inquietude do pensamento. Esse é para nós o principal desafio, gerar oportunidades de fruição e participação cultural densas e emocionalmente fortes”, refere o vereador com o pelouro da Cultura. Outro dos desafios é encontrar parceiros, mas, como indica Gil Ferreira, esse desafio acaba por resultar numa mais-valia para o Imaginarius. O evento é organizado pela Câmara local há 18 anos consecutivos e a edição de 2017 está nomeada na categoria de “Evento Público” nos Bea World. A equipa de produção ronda as 40 pessoas, que começam a trabalhar com maior ou menor envolvimento mal termina uma edição. “Em boa verdade são precisos 362 dias para construir três dias de festival, em diálogo pleno com o património cultural e natural de Santa Maria da Feira. No seio da equipa nuclear, é frequente ainda estarmos a ultimar a presente edição e estarmos já em brainstorming para a seguinte”, refere Gil Ferreira.



O evento, que se tornou uma referência nacional, atrai muitos visitantes estrangeiros. Os mercados que são privilegiados em termos internacionais são o espanhol e o francês. Por outro lado, o projecto está presente em redes internacionais de profissionais de Artes de Rua, como a Circostrada. Isso permitiu, por exemplo, que em 2017, o município tenha acolhido o FRESHSTREET#2, um seminário internacional para este sector, que trouxe a Portugal 58 oradores, de 24 países, e 400 delegados, de 41 países. Todas estas acções contribuem para que o Imaginarius seja um projecto “em permanente regeneração”.

event point revista eventos mice

Três perguntas a Gil Ferreira

Como conseguem inovar ano após ano?

Logo após o termo de uma edição começamos a trabalhar na seguinte com um objectivo claro, superar-nos. Não pretendemos que o público venha com o objectivo comparativo de assistir a conteúdos melhores do que os do festival A, B, C ou D. Pretendemos que o nosso público venha assistir a conteúdos verdadeiramente únicos. Todos os anos o tema central é novo. Colocamos, a priori, um desafio à criatividade e à capacidade de inovação da comunidade artística que pretenda submeter propostas. A estrutura do festival tem por base, fundamentalmente, a programação principal, que decorre de convites específicos para criação em residência com estreia absoluta no festival ou co-criações que decorrem de parcerias internacionais; o concurso internacional Mais Imaginarius, que desafia, anualmente, os artistas emergentes, a nível mundial, a apresentarem criações site specific no centro histórico de Santa Maria da Feira; e da secção infantil que tem também um tema específico, anual, que é trabalhado ao longo de um ciclo lectivo com a comunidade escolar.

Quais as estratégias utilizadas para envolver a população do concelho?

O envolvimento pode ser caracterizado em diversas escalas e acções, mas com uma dinâmica chave centrada na transfiguração do território e da cidade durante três dias. As estratégias passam pelo envolvimento da comunidade local em actividades específicas do festival, pelo envolvimento do tecido associativo, pelo convite à participação de artistas amadores em alguns projetos ou pelo desenvolvimento de workshops destinados à comunidade escolar, do pré-escolar ao secundário. Só assim é possível impregnar a população de “mundo Imaginarius” e gerar uma dinâmica que contamina todo o concelho, capacitando-o, formando não só novos públicos como potenciais criadores no futuro.

Como vêem a evolução deste evento nos próximos anos?

O Imaginarius é uma referência internacional das artes de rua, sendo que o seu posicionamento tende a evoluir no sentido de um envolvimento ainda maior de profissionais do sector e de público internacional, num festival que se transforma numa montra activa de oportunidades artísticas e desenho de tendências na criação artística contemporânea para o espaço público em toda a Europa.

Ficha do evento
Agência organizadora: Município de Santa Maria da Feira
Cliente: Município de Santa Maria da Feira
Tipo de evento: Público
Público-alvo: Todos os públicos

Tags: Imaginarius, Bea World, Eventos

10-11-2017