Entrevistas

UP Partner: Trinta anos ao serviço das marcas

A UP Partner cumpre 30 anos, e não podíamos deixar passar a ocasião. Rui Batista, Event Director na empresa, repassa connosco os principais marcos na vida da agência, a visão sobre o setor dos eventos e a importância de estarem inseridos na rede internacional de agências 27Names.

Conte‑nos um pouco a história da UP Partner e como foi evoluindo ao longo destes 30 anos de atividade.

A história da UP Partner começa em 1989, na altura com o nome Nomimarketing. Inicialmente, tinha como negócio a distribuição de folhetos e logística na área do retalho. A partir daí, foi um crescimento constante e sustentável, a par, e muitas vezes à frente, das tendências de marketing. São poucas as agências de comunicação em Portugal que podem afirmar ter 30 anos de existência, o que mostra bastante sobre o nosso ADN. Ao longo desta caminhada, foram sendo criadas novas áreas de negócio, tendo‑se evoluído do Retalho e Logística para Eventos, Healthcare, Digital e, mais recentemente, Relações Públicas e Pet Care.

Quando é que foi incorporada a competência de eventos na empresa, e de que forma esse departamento foi crescendo ao longo dos anos?

Essa competência foi quase um passo natural. Na década de 90, já trabalhávamos com grandes contas, entre as quais a Optimus Telecomunicações, a Unicer, a Matutano e a Sonae. Cada vez mais confiantes no nosso profissionalismo e na nossa capacidade de entrega, foram‑nos passando projetos de maior envergadura, como os festivais de verão, as festas da cerveja e muitos outros eventos. Sempre gostámos de comunicar e de lidar com audiências.

Eu integrei a agência nessa altura, vindo da então Euro‑RSCG, e realizei o meu primeiro evento para a IBM Portugal, um evento corporativo. Desde então, nunca mais deixei a área. Para quem conhece o segmento dos eventos sabe que, apesar do stress constante, é um trabalho muito “viciante” e com uma dinâmica muito própria.

Mais recentemente, incorporámos fortemente a componente Digital (tanto nos canais online como offline) e a unidade de Relações Públicas. Isto porque estamos em crer que é de extrema importância que os eventos sejam amplificados e mensuráveis, gerando assim um retorno positivo do investimento feito pelas marcas.

Quais foram os eventos mais marcantes deste percurso?

Existem inúmeros, mas destacava a Expo 98, na qual fizemos diversas ativações. Este foi sem dúvida um marco que abriu o redescobrimento de Portugal pelo mundo. Gostaria também de referir o Euro 2004, em que tivemos a nosso cargo o sponsoring e ativações da Carlsberg, o lançamento da Fly Emirates em Portugal – Hello Lisbon ou as Festas da Cerveja, que reuniram mais de 120 mil participantes, inspiradas no Oktoberfest. Mais recentemente, destaco a Convenção da Nescafé Portugal, onde foi batido um record mundial do Guinness, e a 1º edição do Lisbon Coffee Fest, um evento que decorreu este ano na LX Factory e que teve na primeira edição mais de seis mil visitantes.

De que forma os prémios arrecadados nos últimos anos ajudaram a valorizar a componente eventos dentro da empresa?

Consideramos os prémios eficazes, na medida em que simbolizam o reconhecimento e o mérito do nosso trabalho, e a confiança que os clientes depositam em nós. É uma mais‑valia, pois ajuda a credibilizar a nossa indústria e, acima de tudo, é bom quando toda a nossa equipa recebe o reconhecimento por um trabalho bem feito.

Entre outros, fomos eleitos Agência do Ano de Ativação e Eventos nos prémios Lusófonos; com a nossa rede 27Names ganhámos o prémio de Melhor Agência de Eventos da Europa em 2014, nos BEA World, e temos vindo a subir ao palco já com alguma frequência em tantas outras competições.

O facto de terem outras valências na UP Partner ajuda o vosso trabalho no dia‑a‑dia junto dos clientes de eventos?

Sem sombra de dúvida. O facto de termos diversos serviços integrados, a produção de conteúdos, research, 3D, conceção criativa dos projetos e logística integrada, permite acompanharmos a qualidade e entrega dos trabalhos do início ao fim. Neste momento, somos mais de 50 colaboradores, divididos entre os escritórios de Lisboa e do Porto, e a organização é um ponto‑chave para que tudo corra bem. Temos a certeza de que os clientes percebem esta mais‑valia.

O abismal crescimento nos eventos

Neste período, de que forma lhe parece que o sector dos eventos foi evoluindo?

No caso de Portugal, a evolução tem sido abismal. Nos últimos anos, fruto das novas tecnologias e do crescimento exponencial do turismo, o setor dos eventos tem‑se tornado cada vez mais um motor da nossa economia. Acima de tudo, tenho um certo orgulho em fazer parte desta mudança e em ver os excelentes profissionais que existem, nas mais diferentes áreas, os audiovisuais, o catering, os venues e outros serviços. Uma coisa considero como certa, os eventos são momentos únicos para as empresas e entidades comunicarem ao vivo e de forma direta com o público‑alvo. É sempre uma comunicação de pessoas para pessoas e, independentemente da evolução da sociedade, penso que os eventos irão sempre existir.

Que tendências vislumbra num futuro a médio prazo para este setor?

Penso que os eventos vão caminhar cada vez mais no sentido da criação de experiências mais marcantes e imersivas. A internacionalização também é um fator a ter em conta. Temos todos de caminhar no sentido de criarmos eventos mais sustentáveis com preocupações ambientais e sociais acrescidas.

A criatividade ao serviço do planeamento dos eventos, desde o marketing à execução e à medição dos resultados obtidos, assume também cada vez mais importância. Hoje em dia, um evento é uma ferramenta por excelência de comunicação, que nenhum marketeer ou entidade se pode dar ao luxo de dispensar, e que engloba muitas competências, desde artes e cultura, até tecnologias imersivas e muito mais. Serve isto para concluir que é uma área que continuará a crescer e a surpreender.

Neste momento, como caracteriza o departamento de eventos, em termos de estrutura, de clientes, de visão para o setor dos eventos?

No que concerne à UP Partner, temos vindo sempre a crescer de uma forma sustentável e a acompanhar o mercado, com um rumo bem definido. Temos integrado mais serviços in‑house como seja o Digital, Relações Públicas, e a Produção de Conteúdos, e continuamos a apostar fortemente nos mercados internacionais.

De que forma fazer parte da 27Names beneficiou a empresa?

Logo à partida, identifico duas formas bastante positivas. Um aumento de operações a nível mundial, com diversos eventos que temos realizado em network, tanto em Portugal como fora.

Por outro lado, há a possibilidade de tomarmos contacto com novas formas de trabalhar, tendências, fornecedores, outros. Em áreas como os eventos, o conhecimento atualizado é uma necessidade constante e a rede tem‑nos trazido este benefício.

Como imagina os próximos anos da UP Partner? Quais os objetivos para o futuro? Internacionalização?

Espero que os próximos anos da UP Partner, no que concerne a eventos, se mantenham no caminho da consolidação e crescimento. Para isso, temos de continuar a trabalhar diariamente, percebendo quais as melhores práticas e apostando na criatividade e no conhecimento. Metas como a internacionalização e a sustentabilidade estão na nossa agenda enquanto objetivos prioritários.

Em todo o caso, um ponto que temos como dado adquirido é o de reconhecermos sempre que podemos aprender algo de novo todos os dias e que só com muita dedicação e profissionalismo conseguimos ir mais além.


 

Cláudia Coutinho de Sousa

Tags: UP Partner, Aniversário, Eventos, Mercado

02-09-2019