Opinião

A IAPCO pretende unificar a nossa voz na indústria dos eventos

No início de setembro a IAPCO, em conjunto com 11 associações nacionais de PCOs, lançou a The PCO Perspective – an Advocacy Guide, documento alicerçado no Manifesto Global do JMIC para a indústria dos eventos.

Como nasceu esta ideia e por que resolvemos juntar a nossa voz pela primeira vez na história da IAPCO a associações nacionais de PCOs? Como produzimos este guia e de que forma ele pode e deve ser usado a nível local pelos PCOs? Estas são as principais questões que abordarei nestas linhas.

A ideia de partilhar as nossas ideias e discutir o nosso futuro surgiu na reunião de maio do Council da IAPCO, a primeira vez que nos reuníamos virtualmente em substituição da solarenga Valência a que se seguiria uma tão esperada IMEX.

Nesta reunião do Council de meados de maio o nosso dia‑a‑dia profissional dividia‑se entre a azáfama da gestão dos adiamentos dos nossos eventos e o abraçar da nova realidade virtual. Por esta altura, e já passado o choque inicial do confinamento e podendo já quantificar as consequências financeiras dos primeiros meses de lockdown na nossa indústria, começávamos a perceber também o verdadeiro impacto da pandemia e da sua extensão: a Covid‑19 e os seus efeitos estavam para durar e não iríamos conseguir resolver a situação com um simples adiamento dos nossos eventos físicos para o último trimestre do ano; estávamos a adiar os nossos eventos para novas datas num cenário de total incerteza se essas novas datas seriam ou não viáveis. Muitos de nós acabámos por adiar os nossos congressos uma e outra vez, cancelando outros; logo percebemos que para defender e resgatar a nossa indústria teríamos de rapidamente nos fazer ouvir como representantes dos PCOs a nível internacional: a nossa voz tinha de ser ouvida e era agora urgente um posicionamento claro dos PCOs quanto à reabertura dos eventos físicos.

Decidimos então pôr mãos à obra para que a nossa voz e interesses fossem ouvidos e se distinguissem por entre os soundbites dos diferentes players da nossa indústria e para que o nosso ponto de vista chegasse aos decisores políticos ao nível local. A perspetiva específica dos PCOs deveria ser clara e adequada à nossa realidade e alinhada com o trabalho de advocacia que o JMIC estava a desenvolver para a indústria dos eventos em geral.

Pusémo‑nos em contacto pela primeira vez com várias associações nacionais de PCOs em vários pontos do globo e em finais de junho criámos uma Task Force juntando a IAPCO e 11 associações nacionais com representantes da América Latina à Austrália e delineámos três objetivos simples:

1 ‑ partilhar as nossas experiências e boas práticas – todos estávamos a viver diferentes fases de lockdown, a adotar diferentes abordagens perante as nossas autoridades locais e estávamos também a alcançar diferentes resultados;

2 – garantir que a perspetiva dos PCOs tivesse o destaque necessário dentro e fora da indústria dos eventos delineando formas de ação abrangentes o suficiente para servir todos os PCOs dando suporte às suas atividades locais;

3 – produzir um guia de recomendações e de apoio a PCOs que refletisse a nossa perspetiva, os nossos objetivos e que pudesse ser utilizado a vários níveis: do internacional ao local.

O resultado desse trabalho é o PCO Perspective – an Advocacy Guide. Este documento, servindo como complemento ao Manifesto Global do JMIC, tem como objetivo afirmar o papel fundamental que como PCOs podemos desempenhar na reabertura das nossas economias e como nos devemos posicionar nessa reativação e no trabalho diário que desenvolvemos junto dos nossos governos como líderes na nossa indústria.

O nosso papel de liderança é de um ponto de vista económico facilmente demonstrável quando medimos o valor da nossa atividade ‑ podemos e devemos fazê‑lo. Estatísticas inequívocas a nível internacional levadas a cabo tanto pelo EIC [Events Industry Council] como pela IAPCO mostram o impacto económico da actividade dos seus membros na economia mundial; o mesmo exercício está a ser posto em prática por muitos países e é urgente que todos nós nos munamos destes números: demonstrando o impacto da pandemia na nossa atividade demonstraremos o impacto que a retoma da nossa atividade terá na reativação das nossas economias.

Não se trata, porém, apenas de números, trata‑se também da mostrar a nossa capacidade e know‑how como PCOs em organizar eventos de uma forma segura e controlada; que estamos preparados para recomeçar a nossa atividade; que a natureza dos nossos eventos é diferente dos chamados “eventos de massas”.

The PCO Perspective ‑ an Advocacy Guide foi elaborado com base nestes princípios e está disponível a todos, cientes de que só unificando a nossa voz conseguiremos ser ouvidos e que temos hoje uma oportunidade estratégica como indústria de nos unirmos e garantirmos as condições necessárias para a retoma.

Documentos e mais informação disponíveis em: www.iapco.org/about‑iapco/strategic-global-task-force-of-national-pco-associations/

Por Mónica Freire, Business Manager Congress Unit – Iberian Region – AIM Group International, IAPCO Council Member, Chair of the IAPCO Strategic Global Task Force of National PCO Associations

 

Tags: IAPCO, AIM, Associações

17-11-2020