Opinião

A melhor plataforma não significa o melhor evento online

Muito se tem falado ultimamente sobre plataformas digitais para a realização de eventos online, com a procura a intensificar-se bastante desde o início da pandemia.

Algumas empresas optaram por investir na melhoria de soluções já existentes, outras acabaram por desenvolver novas soluções de raiz.
 
Chegamos a um ponto em que a oferta é de tal forma que o maior desafio na organização de um evento online parece passar pela escolha da plataforma. Digo parece - mas será mesmo assim?

Concordo quando se diz que é em grande parte devido à plataforma que a experiência dos participantes pode ser boa, ótima, fantástica ou péssima, nomeadamente pelas funcionalidades que pode apresentar, e, acima de tudo, pela sua fiabilidade.

Mas discordo quando se indexa o resultado dessa experiência de forma direta e, para melhor explicar o porquê desta minha afirmação, vou dar um exemplo muito concreto. 

Acompanho há já muito tempo o Simon Sinek - orador motivacional e especialista em liderança -, e identifico-me bastante com a sua opinião e forma de pensar sobre determinados temas. 

Seria para mim uma oportunidade única poder ajudar a organizar uma palestra do Simon ao vivo - nesta altura, online -, e ter a oportunidade, inclusive, de poder colocar algumas questões. 

E qual seria a plataforma que eu escolheria para transmitir esse evento? A minha resposta é muito simples: tanto faz, desde que consiga garantir uma transmissão com qualidade e sem uma única interrupção.

Mas tanto faz porquê? Porque a participação de um orador como o Simon Sinek, a sua mensagem, a sua entrega constante de valor, torna o momento num acontecimento único e imperdível, relegando para segundo plano as características da plataforma de transmissão.

E sem uma única interrupção porquê? Porque cinco segundos num evento presencial podem parecer cinco minutos num evento online, podendo quem está a assistir facilmente “ir embora”, comparando com um evento presencial, por exemplo.

Tanto os eventos online a que tenho assistido, relacionados com o tema da organização deste tipo de eventos, como as perguntas que mais vezes me colocam, estão quase sempre relacionadas com a escolha da plataforma:

» Qual a melhor plataforma para o meu evento online? 
» Eu vi a plataforma X, o que achas? E a Y? Ouvi falar muito bem da Z!
» Mas qual é a plataforma que vai utilizar no meu evento?

E a minha resposta é muito simples: depende! Mas depende do quê?

» Do objetivo que pretende atingir com a realização do evento;
» Do conhecimento que tem da sua audiência, os seus desafios, as suas expectativas nas soluções que possam encontrar para ultrapassar esses desafios, o conhecimento que ela procura, o seu grau de compromisso para com a sua marca;
» Que entrega de valor pretende fazer e em que formato (ativo/passivo, interativo, divertido);
» O que pretende que os participantes levem consigo no final (conhecimento, soluções, documentação, etc.);
» Do número de pessoas junto das quais pretende criar uma experiência única.

Sem existir uma resposta clara a todas essas questões, não faz sentido sequer pensar em plataformas. É uma fase ainda prematura da sua organização.

A definição do objetivo e criação do conceito são determinantes para iniciar uma construção sólida de um evento online, complementando-se com uma componente tecnológica, que desempenha um papel muito mais preponderante neste tipo de eventos.

Ter um conhecimento detalhado daquilo que são as potencialidades de cada plataforma, permite ao organizador do evento ter uma noção clara do potencial disponível para tornar reais as suas ideias.

É uma nova realidade que veio impulsionar um tipo de eventos já existentes, mas que não alteram em nada toda a linha de pensamento necessária para construir um evento de sucesso, independentemente de ser presencial ou online.

Apenas alguns "atores" envolvidos ganham outra preponderância, nomeadamente do ponto de vista tecnológico, porque ajudam, com base na experiência que têm neste tipo de eventos, a garantir uma transmissão com a qualidade que o evento merece.

E aí, sim, a sua especialização, o seu conhecimento prático e aprofundado de cada plataforma é crucial para ajudar o organizador a "veicular" o conceito que idealizou.

Em jeito de conclusão, não existe uma plataforma única e perfeita, existe, sim, uma plataforma que se ajusta na perfeição aos objetivos únicos de cada evento.

 
Patrick Sardinha, CEO & fundador da izigo

Tags: Opinião, Tecnologia, Plataformas

04-03-2021