ARQUIVO

WMF regressa no melhor momento para a indústria MICE na América Latina

Está à porta mais uma edição do World Meetings Forum (WMF), um evento que reúne alguns dos principais profissionais do sector da meetings industry da América Latina, mas não só. Também a Event Point estará presente, com a edição internacional. Estivemos à conversa com Rafael Hernandez, anfitrião do evento que decorre em Cancun, de 4 a 6 de Junho.

O que podemos esperar da próxima edição da WMF?

Este ano, temos um grande programa educacional. O foco principal continua a ser reunir as tendências e as estatísticas da indústria MICE para os próximos anos, pela mão de chairmans de Associações Globais. Temos a oportunidade de trazer pela primeira vez ao México o Fórum Futuros Líderes, apresentado pela IMEX, MCI e MPI. Isso vai ajudar as novas gerações a compreender a importância da nossa indústria e ajudá-las a começar a envolver-se com os profissionais.

No ano passado, propusemos ao comité de Chairmans a possibilidade da WMF se tornar a responsável pela coligação latino-americana da Meetings Mean Business e, desde então, temos vindo a trabalhar em várias coisas em torno da campanha. Este ano temos o lançamento oficial da campanha MMB LATAM e manteremos a responsabilidade pelo México e região da América Latina.

A WMF tem um maior foco no desenvolvimento de oportunidades de negócios para os nossos patrocinadores e delegados, por isso destacamos o Coffee Break Business Lounge e os mais de 40 organizadores de eventos qualificados e PCOs presentes em reuniões one-on-one. Desta forma, todas estas actividades farão da WMF uma grande reunião.

O que destacaria do programa?

Este ano, o programa está dividido em três fases. O dia um é dedicado à Globalização. É sabido que agora competimos globalmente, por isso temos de escutar dos profissionais quais são as suas preocupações e as coisas que temos de considerar num mundo global para as reuniões.

O dia dois é sobre advogar. É uma das actividades mais importantes que apoia a indústria MICE. Vamos ajudar todos os assistentes a compreender e aplicar correctamente estes termos e acções. Temos o melhor dos melhores neste dia, incluindo Martitz CEO, US Travel Association, ex-ministros do turismo e grandes líderes na indústria.

O dia três será dedicado à tecnologia. Uma tendência que não mudou e que continua forte é a tecnologia em eventos. Teremos os melhores especialistas e empresários responsáveis por algumas ferramentas que estão a mudar a indústria das reuniões.

Têm também um destino convidado este ano, a Colômbia...

A Colômbia é o país convidado devido a toda a movimentação lá existente para atrair mais reuniões, congressos, incentivos e feiras. Este é também o lançamento de uma nova valência da WMF nos próximos anos, em que teremos um país convidado a mostrar e partilhar o que de melhor tem para a comunidade global MICE.

Como vê neste momento o sector na América Latina?

Penso que este é o melhor momento para a indústria MICE na América Latina. Emergimos como uma nova proposta para eventos devido à nossa cultura, destinos, e acessibilidade dos preços. As companhias aéreas globais estão à procura de como se aproximarem com mais voos (KLM, Lufthansa, Air France, Emirates) e em breve vamos ver companhias aéreas da China a voar para destinos da América Latina. As nossas infra-estruturas estão a melhorar e muitos destinos perceberam que a indústria MICE é a única aposta por causa de todos os benefícios que traz a um destino. Penso que veremos mais desenvolvimentos da América Latina nos próximos anos, tornando-se um grande concorrente para as outras regiões.

Ponderam levar a WMF para outro destino?

Estamos a analisar duas propostas para levar a WMF numa tournée e trabalhar em conjunto com outras regiões para organizar a WMF. Vamos ter cautela na escolha do destino porque queremos manter a qualidade do evento. Teremos boas notícias até o final de Julho.

Recorde a edição do ano passado: