ARQUIVO

Todos os caminhos foram dar à Comic Con

Este fim-de-semana, 4,5,6 de Dezembro, todos os caminhos foram dar à Exponor para a segunda edição da Comic Con Portugal, a maior convenção de Cultura Pop realizada no nosso país. Com um espaço maior, mais expositores, mais activações de marcas, auditórios com mais lugares e uma zona de alimentação reforçada, é justo dizer que o evento melhorou globalmente. Houve filas é certo, mas uma vez dentro do recinto, o ambiente era muito bom.

O DeLorean, a máquina do tempo de Marty McFly e Doc Brown, foi um dos destaques desta edição e fez as delícias de miúdos e graúdos. Assinado pelos actores e com alguns apetrechos do filme, o Hoverboard, o chapéu e kispo de Marty, o carro foi fotografado milhares de vezes no stand da Cinemundo. Uma fotografia no trono da Guerra dos Tronos foi a activação da SyFy, a que disseram “sim” centenas e centenas de pessoas.

Mas o universo Guerra das Estrelas foi o mais presente na Comic Con. A réplica da nave Tie fighter da saga de George Lucas era impressionante e ninguém quis perder a ocasião de a ver. Mesmo ao lado estava o stand da Legião 501 Portuguese Outpost, uma espécie de associação ao clube que reúne os maiores fãs, ou fanáticos, da Guerra das Estrelas. Hugo Pablo contou à Event Point que a associação, sem fins lucrativos, tem 16 membros. Todos os fatos que usam, obrigatoriamente do lado negro da força, são aprovados pela Lucasfilms. “O nosso lema é os maus a praticarem o bem”, explica. “Fazemos dois tipos de eventos, os de caridade e os promocionais. Os fundos que angariamos ou donativos que recebemos damos a uma associação”. Na Comic Con a presença foi alargada, havia por exemplo um Blaster Trooper que os miúdos tentavam atingir e cujo dinheiro revertia a favor da Associação Portuguesa contra a Leucemia; havia ainda a parte das fotos com o Darth Vader; a interacção com as pessoas por todo o recinto e a parada Guerra das Estrelas.



Por falar em sagas, o Senhor dos Anéis também esteve em foco no evento com a presença de John Noble, um dos vários convidados estrangeiros presentes. O actor, que tem um curriculum vastíssimo, espalhou simpatia no Porto, tendo sido muito questionado pela audiência, num inglês perfeito – diga-se, pelo seu papel de Denethor II no Senhor dos Anéis, mas sobretudo pelo de Walter Bishop, na série Fringe.

Por fim, destaque para os anónimos, os Cosplayers (pessoas que se vestem como os seus heróis favoritos). Houve muitos, alguns com fatos espectaculares, e animaram, e de que maneira, este evento único no panorama nacional.