ARQUIVO

Código de conduta para o uso das novas tecnologias em feiras

É um velho problema, com novos contornos; os participantes numa feira passam pelos stands e imediatamente formam uma impressão de que o staff não está muito interessado em conhecer novas pessoas. Esta impressão decorre da observação de que estes representantes de uma empresa estão mais ocupados a falar com os colegas, a tratar do trabalho do escritório ou a comer o almoço.

Agora que estamos na era da tecnologia há novas distracções: smartphones, tablets e portáteis e que podem deixar os visitantes com uma impressão desfavorável, a última que quer criar com os seus potenciais clientes.

Imagine que entra numa loja e o vendedor está atrás da caixa registadora a mandar sms aos amigos ou a ler os updates do Facebook. A não ser que precise mesmo de um produto desta loja, a sua reacção vai ser dar meia volta e ir embora. A situação não é diferente numa feira.

O problema intensificou-se hoje em dia porque mais ou menos um terço da população mundial está conectada e mandar mensagens ou emails tornou-se um hábito. Como assegurar que o seu staff pare de mandar mensagens, de conversar, de ler, estar ao computador, e concentre todas as suas energias na atenção dada aos visitantes.

No passado, muitos expositores prepararam listas de conduta para o stand, que incluíam regras sobre comer, ler, sentar, abordagem ao cliente, e profissionalismo. Agora é altura de criar um código de conduta focado no uso da tecnologia numa feira. Vai levar algum tempo a criar uma lista completa, mas aqui vai um esboço:

Não fazer no stand:

Usar telemóveis. A tendência, especialmente nos tempos mortos, é estar em contacto com o escritório. Mas nunca se sabe quando vai aparecer o próximo cliente e vê-lo ao telefone vai, provavelmente, levá-lo a passar e não parar.

Usar o stand como uma espécie de escritório e estar a trabalhar no computador ou no tablet.

Não permitir às pessoas que estão no escritório de interromper o staff do stand com telefonemas e mensagens.

O que fazer:

Coloque o seu telemóvel no silêncio durante o horário de exposição. Mas há alturas em que o smartphone pode ser uma vantagem. Pode usá-lo para confirmar reuniões no stand, para contactar os seus clientes a lembrar-lhes da feira e de como está a correr bem, e também para situações em que necessite de ajuda por parte do escritório.

Escolher uma pessoa para actualizar o Facebook a partir do stand para manter viva a rede social. Ignorar o poder destes meios numa feira é tolo. Muitos certames já incorporam o twitter, Facebbok, LinkedIn e outros sites para promover o projecto. Expositores inteligentes abraçam as redes sociais e usam-nas em seu benefício. No entanto é necessário que seja explícito quem actualiza as redes.

Use o computador e os tablets para fazer apresentações aos visitantes, mostrar estatísticas ou estudos de caso.

 

Por Barry Siskind, consultor de feiras e eventos