Colóquio da Qualidade: “O que mais nos preocupa é a experiência do participante”

Entrevista

04-11-2022

# tags: Eventos , Associações , Associação Portuguesa para a Qualidade

A 46ª edição do Colóquio da Qualidade realiza-se no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, a 10 de novembro.

O Colóquio da Qualidade é um evento organizado anualmente pela APQ – Associação Portuguesa para a Qualidade. Esta edição vai decorrer em formato híbrido e tem como principal tema “Leis Q – Liderança, Excelência, Inovação e Sustentabilidade com Qualidade”. A Comissão Organizadora do evento detalha à Event Point o que se pode esperar da iniciativa, revelando o especial cuidado que pretendem ter com a experiência do participante.

- O que podemos esperar desta edição do Colóquio da Qualidade?

Podemos esperar uma edição única! Isto porque temos um conjunto de temas e de oradores de excelência. Para além da organização, o que mais se destaca num evento desta natureza é a atratividade e qualidade do programa. A localização ajuda e ao final do dia juntamos um jantar com a entrega dos APQ Awards. Até no formato estamos a tentar inovar para dar o exemplo e sermos coerentes com a nossa essência. O que mais nos preocupa é a experiência do participante que tem de ficar com um registo de que ouviu e pensou em assuntos novos (ou consolidou outros). Também destacamos o networking, fazendo deste evento, pelos indicadores que apresenta, o maior na área da Qualidade e Excelência em Portugal.

- Quais são os temas que destacam?

A customização de alguns sistemas e standards (qual a tendência e futuro?), o compromisso da gestão de topo na Qualidade, a inovação e a sustentabilidade. Na verdade, não gostaríamos de destacar nenhum pois conseguimos juntar muita qualidade nos oradores, e no final a intervenção de “decifrar pessoas em auditoria” será também uma boa surpresa olhando para toda uma abordagem holística dos temas e não tão técnica. Um evento destes, embora com base nas boas práticas, melhores benchmarks e partilha, tem de fazer os participantes pensar e querer saber mais. O que nos move é concentrar num dia muito saber, aprendizagem e fazer com que as pessoas passem à ação como mobilizadores dos temas abordados.

- É um evento que vai ter transmissão online. Em termos de participação, são mais os delegados presenciais ou online? Como é que sentiram a adesão dos participantes a esta edição?

Vamos ter casa cheia com 300 participantes presenciais. E online vamos ultrapassar os 300 inscritos. Julgamos serem números muito interessantes.

- Porque é que decidiram transmitir o evento? Acreditam que isso não desmobiliza alguns participantes de irem ao evento?

Em termos presenciais temos limitação de lugares. É nossa missão espalhar os conteúdos a quem não possa estar presente no local do evento por questões de agenda e localização. O investimento fica maior, mas conseguimos chegar a mais público e aumentamos a conveniência e disponibilidade. Quem participa tem necessidades diferentes e um evento apenas presencial limita as opções. Quem participa é livre de estar online ou presencial, a decisão não deve ser condicionada por quem organiza. A experiência, principalmente em networking, não é a mesma, reconheço. E há sempre o risco que refere, embora julguemos que é um risco que vale a pena ter, em benefício de quem participa. O nosso foco são os nossos associados e clientes e a experiência que lhes proporcionamos, minimizando obstáculos na participação. E isso é servir!

- Porquê a escolha do Terminal de Cruzeiros? 

Porque é um local atraente pela localização (acessibilidades), assim como pela proximidade ao mar inspirador e pela infraestrutura instalada. Adequa-se às nossas necessidades. Estamos certos de ter sido uma boa escolha.

© Cláudia Coutinho de Sousa Redação